Paulistão Chevrolet 2012
Com dificuldades, Santos vence o Guarani por 4 a 2 e é tricampeão
Publicado em 13 de maio de 2012 às 17h56

Raoni David
No Morumbi


Com o último tricampeonato paulista tendo sido conquistado pelo próprio Santos em 1969, o time da Vila Belmiro comandado por Muricy Ramalho entrou em campo determinado a fazer história. E fez ao vencer com muita dificuldade o valente Guarani por 3 a 2, com mais dois gols de Neymar que chegou a 108 gols com a camisa santista e o 20º no Campeonato Paulista, isolando-se como maior artilheiro do estadual desde 1996, quando Giovanni, pelo mesmo Santos marcou 24 vezes.

Já a equipe da Vila Belmiro, além de conquistar o seu terceiro tricampeonato em toda a história – 1960, 1961, 1962 e 1967, 1968, 1969 - chega ao 20º título estadual empatando em número de conquistas com o rival São Paulo.

Para evitar a festa santista o Guarani precisava vencer por pelo menos três gols de diferença para levar a decisão aos pênaltis. E se a situação do Guarani já era complicada antes de entrar em campo, a coisa se complicou logo no primeiro minuto, quando Neymar lançou Elano que deixou Alan Kardec livre, para de carrinho abrir o placar no Morumbi. Com um minuto de jogo a torcida santista já comemorava o tricampeonato paulista. No entanto, apenas três minutos depois o Guarani esfriou a festa santista após falha do goleiro Rafael após cruzamento de Bruno Recife. Fabinho aproveitou o rebote e dentro da pequena área empatou o jogo.

Quando o time santista retornou ao ataque o árbitro Paulo César de Oliveira marcou o toque de mão do volante bugrino Fabio Bahia, dentro da área. O camisa 11 santista, o craque Neymar se encarregou da cobrança, deslocou o goleiro Emerson e aos oito minutos recolocou o Santos na frente na movimentada decisão do Paulistão Chevrolet 2012.

O jogo seguia bastante movimentado e o Guarani não se entregava. Aos 16 minutos Elano perdeu bola na entrada da área, Fabinho se aproveitou, foi ao fundo e cruzou. Durval falhou ao tentar afastar o perigo, Bruno Mendes dominou e teve tranquilidade para mais uma vez empatar a contagem no Morumbi.

Naturalmente o ritmo alucinante em que a partida começou diminuiu e os gols pararam de sair. O Guarani tentou Bruno Mendes e Bruno Peres e o Santos respondeu com Elano e Neymar. No entanto, foi aos 32 minutos que o Guarani voltou a estar muito perto do gol. Medina bateu forte de esquerda de fora da área, Rafael defendeu dando rebote que Bruno Mendes aproveitou na entrada da pequena área de cabeça. Sem marcação, no entanto, o camisa 9 cabeceou fraco e bem colocado Rafael ficou com a bola.

Aos 44 foi a vez de Neymar aproveitar falha da defesa do Guarani e bater para fora, pouco depois o time de Campinas achou espaço e invadiu a área santista. Quando Medina cruzou Rafael interceptou evitando o terceiro gol no último lance de maior perigo do primeiro tempo.

Para a segunda etapa ambas as equipes voltaram sem substituições e sem o mesmo espírito goleador. Perdendo o título, o Guarani tinha mais a posse de bola, mas pouco assustava. O Santos, por sua vez, tendo o tempo como aliado fazia o possível para segurar o jogo e ver a partida se aproximar do seu final. Assim, poucos lances perigosos aconteceram até a metade do segundo tempo.

Foi quando aos 27 minutos Neymar iniciou jogada pelo meio e tocou na ponta esquerda para Juan. O lateral santista fez ótima jogada no fundo e cruzou para trás para o mesmo Neymar bater de frente para o gol, no alto, sem chances para Emerson e recolocou o Santos à frente do placar e muito mais próximo do título. Sentindo a proximidade da conquista, a torcida iniciou bonita festa no estádio do Morumbi.

Em campo o Santos manteve o favoritismo e a boa vantagem construída mantendo a posse de bola, neutralizando os avanços bugrinos e ainda criando boas oportunidades de gol, como com Felipe Anderson aos 37 minutos em bom chute para a defesa de Emerson. O Guarani também assustava e Danilo Sacramento teve boa oportunidade de marcar no minuto seguinte, mas viu a defesa desviar e evitar o gol.

No último lance do jogo e aumentando a festa santista, Alan Kardec recebeu livre na área e de frente para o goleiro Emerson teve tranquilidade para driblá-lo e bater para o gol vazio, sacramentando a vitória e o título histórico santista.

Ficha técnica

Santos 4x2 Guarani

Santos: Rafael; Henrique, Edu Dracena, Durval e Juan (Léo); Arouca, Ibson, Elano (Felipe Anderson) e PH Ganso; Neymar e Alan Kardec.
Técnico: Muricy Ramalho.

Guarani: Emerson; Bruno Peres, Domingos, André Leone e Bruno Recife; Éwerton Páscoa (Ronaldo), Fábio Bahia, Danilo Sacramento e Medina (Max Pardalzinho); Fabinho e Bruno Mendes (Thiaguinho).
Técnico: Vadão.

Árbitro: Paulo Cesar de Oliveira;
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse e Vicente Romano Neto;
Assistentes adicionais: Raphael Claus e Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza;
Quarto árbitro: Flávio Rodrigues Guerra;
Gols: Alan Kardec a 1’, Fabinho 4’, Neymar 8’ e Bruno Mendes aos 16’ do 1ºT; Neymar 27’ e Alan Kardec aos 46' do 2ºT
Cartões amarelos: Bruno Recife (GUA); Neymar, Juan e Alan Kardec (SAN)
Público: 53.749 pagantes
Renda: R$ 2.667.232,00
Local: Estádio Cícero Pompeu de Toledo, Morumbi, em São Paulo;
Data: 13 de maio às 16h.

  • Foto: Teófilo Pereira

  • Foto: Teófilo Pereira

  • Foto: Teófilo Pereira

  • Foto: Teófilo Pereira

  • Foto: Teófilo Pereira

  • Foto: Teófilo Pereira

  • Foto: Teófilo Pereira

  • Foto: Teófilo Pereira

  • Foto: Teófilo Pereira

  • Foto: Teófilo Pereira

  • Foto: Teófilo Pereira

  • Foto: Teófilo Pereira

  • Foto: Teófilo Pereira

  • Foto: Teófilo Pereira

  • Foto: Teófilo Pereira

  • Foto: Teófilo Pereira

  • Foto: Teófilo Pereira

© 2014 Federação Paulista de Futebol - Todos os direitos reservados. FALE CONOSCO    |    EXPEDIENTE
Placar On Line