Santos Futebol Clube
Paulistão Chevrolet 2012
Com três de Neymar, Santos vence São Paulo e está na final
Publicado em 29 de abril de 2012 às 18h02

Valendo vaga na final do Paulistão Chevrolet 2012, São Paulo e Santos se enfrentaram na tarde deste domingo (29), no Morumbi, e com três gols de Neymar, o Peixe venceu por 3 a 1, carimbando seu passaporte para a grande decisão.

Logo aos três minutos de bola rolando, o Santos abriu o placar. Arouca fez ótimo lançamento para Alan Kardec, que foi derrubado pelo zagueiro Paulo Miranda dentro da área. Na cobrança do pênalti, Neymar bateu com categoria para fazer seu centésimo gol com a camisa do Peixe.

O São Paulo quase chegou ao empate aos 10 minutos. Após cobrança de escanteio de Jadson, Paulo Miranda se antecipou ao goleiro Rafael e cabeceou na trave. Quatro minutos depois, Denilson cobrou falta de longa distância e o arqueiro santista espalmou.

Na pressão, o Tricolor voltou a assustar Rafael aos 22, na bela conclusão de Casemiro que passou tirando tinta da trave. Aos 31, após erro na saída de bola do São Paulo, Ganso lançou para Neymar bater no canto e ampliar para o time da Vila Belmiro. Depois do segundo gol, o jogo ficou mais truncado e o Peixe adminstrou a vantagem até o final da primeira etapa.

O São Paulo voltou para o segundo tempo com Rodrigo Caio no lugar de Piris e Fernandinho na vaga do meia Jadson. Aos dois minutos, Lucas fez ótima jogada individual, driblou dois marcadores e bateu com perigo, assustando o arqueiro Rafael. Três minutos depois, Neymar teve chance clara para fazer o terceiro após rebote de Dênis, mas a bola caprichosamente acertou a trave.

Aos 10, Rodrigo Caio cruzou da direita e Maranhão quase fez gol contra, com a bola passando à esquerda de Rafael. Depois, o goleiro santista sentiu uma lesão e foi substituído por Aranha. Willian José recebeu de Lucas dentro da área e desperdiçou gol incrível ao chutar por cima do travessão.

Na base do abafa, o São Paulo criou nova oportunidade no cruzamento de Casemiro e Willian José acertou a trave de Aranha. Depois de muita pressão, o time da casa diminuiu. Aos 18, após boa troca de passes no ataque, Casemiro tocou para Wilian José bater rasteiro e fazer o primeiro do Tricolor.

O gol deu novo ânimo ao São Paulo, que quase empatou a partida na falta cobrada por Cícero que Aranha voou para salvar o time alvinegro. Aos 29, Ganso arriscou de fora da área e a bola foi à esquerda do arqueiro são-paulino.

Três minutos depois, Neymar arrematou da entrada da área e contou com a falha de Dênis para anotar o terceiro dele e do Peixe no Morumbi. A partir daí, coube ao time praiano administrar a posse de bola e esperar o final da partida para comemorar a vaga na final.

Agora, o Santos espera o vencedor do confronto campineiro entre Guarani e Ponte Preta, que jogam às 18h30, para saber quem será seu adversário na finalíssima.

Ficha técnica

São Paulo 1 x 3 Santos

Árbitro: Paulo Cesar de Oliveira;
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho e Vicente Romano Neto;
Assistentes adicionais: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza e Marcelo Rogério;
Quarto árbitro: Guilherme Ceretta de Lima;
Local: estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi, em São Paulo;
Data: dia 29 (domingo), às 16h.

São Paulo: Dênis; Piris (Rodrigo Caio), Rhodolfo, Paulo Miranda e Cortez; Denílson, Casemiro (Osvaldo), Cícero e Jadson (Fernandinho); Lucas e Willian José.
Técnico: Emerson Leão.

Santos: Rafael (Aranha); Maranhão, Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Adriano, Elano e PH Ganso; Alan Kardec e Neymar. 
Técnico: Muricy Ramalho.

Gols: Neymar (SAN), aos 3’ (pênalti), 31’ 1T e 32’ 2T, Willian José (SPO), aos 18’ 2T.

CA: Paulo Miranda, Piris, Cícero, Rodrigo Caio (SPO), Maranhão, Aranha (SAN).

CV: Cícero (SPO).

Ficha Técnica
Presidente
Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro
Endereço
Rua Princesa Isabel, 77 CEP 11075-501 - Santos -
Telefone: 13 3257-4000

Web Site Oficial
www.santosfc.com.br


Fundação
14/04/1912
Estádio Mandante
Vila Belmiro
Estádio Urbano Caldeira
Santos
Mascote

Pode parecer contradição, mas a escolha da Baleia, um mamífero, para representar um clube que tem o apelido de peixe faz sentido. Primeiro, porque a Baleia representa o maior animal marinho e, depois, porque a Orca é uma espécie que pode ser encontrada no litoral santista durante seu fluxo migratório. Além das cores branca e preta do animal, o que realmente identifica a Baleia como símbolo do Santos é a força similar de sua torcida.

Recentemente, a mascote foi reestilizada, ganhou um nome – Baleião – e  companhia, o Baleinha. Quando do apelido de peixeiros recebido em 1933, no primeiro ano de profissionalismo do nosso futebol, por torcedores de São Paulo, não é demérito, mas honra para os moradores da cidade praiana.

© 2014 Federação Paulista de Futebol - Todos os direitos reservados. FALE CONOSCO    |    EXPEDIENTE
Placar On Line