Oeste Futebol Clube
Série C
Oeste vence Brasiliense (DF) de virada e vai ao G4
Publicado em 20 de julho de 2012 às 21h32
Oeste e Brasiliense (DF) se enfrentaram nesta sexta-feira (20), pela quarta-rodada do Grupo B do Campeonato Brasileiro da Série C. O time paulista venceu a partida de virada pelo placar de 2 a 1.

O resultado levou o Oeste a seis pontos, podendo terminar a rodada no G4 da chave. Já o Jacaré, com três, cai para a zona de rebaixamento.

Ênio, aos 19 minutos de  jogo, abriu o placar para o Brasiliense. A equipe de Itápolis foi para cima, atrás do empate ainda na etapa inicial, mas o Jacaré levou a vantagem para o vestiário.

No segundo tempo, Samuel marcou o gol de empate do Oeste. O gol fez os donos da casa aumentarem a pressão pela reação na partida e conseguiram marcar o gol da virada, aos 31, com Dênis. O Brasiliense foi atrás do empate, mas sem sucesso.

O Oeste joga conta o Santo André no duelo paulista da próxima rodada. O Brasiliense terá pela frente o Macaé (RJ).

Ficha técnica
Oeste 2 x 1 Brasiliense (DF)

Local: Estádio dos Amaros, Itápolis (SP);
Árbitro: Adriano Milczvzki (PR);
Assistentes: Marcos Rogerio da Silva e Luiz Souza Santos Renesto (Ambos PR);

Oeste: Jailson; Dedê, Eduardo Luiz, Dezinho e Thiago; Douglas, Ricardo Oliveira, Paulo Vitor e Samuel; Wanderson e Serginho.
Técnico: Roberto Cavalo.
 
Brasiliense: Welder; Bocão, Ênio, Leandro Camilo e Walter Minhoca; Júlio Bastos, Andrade, Ferrugem e Elivelto; André Luiz e Jandson.
Técnico: Luiz Carlos Barbieri.

Gols: Ênio (BRS) aos 19 do primeiro tempo, Samuel (OES) aos 7 e Dênis (OES) aos 31 do segundo tempo
Ficha Técnica
Presidente
Ernesto Francisco Garcia
Endereço
Rua dos Expedicionários, s/n – Estádio Municipal CEP 14900-000 - Itápolis -
Telefone: 16 3262-5563

Web Site Oficial
www.oestefc.com.br


Fundação
25/01/1921
Estádio Mandante

E. M. dos Amaros
Itápolis
Mascote

A mascote do Oeste tem ligação direta com um rio que corta Itápolis, município onde surgiu o clube no ano de 1921. O Rio da Onça é um dos principais da cidade e como se dá na maioria do Interior paulista, o respeito ao patrimônio da terra é sagrado.
Assim como a onça, que no mundo animal caracteriza-se pelo silêncio e precisão em seus ataques, o Oeste demorou décadas para mostrar sua força no futebol paulista. Exatamente como o bicho que carrega como mascote, o Oeste transformou-se silenciosamente, a partir de 1997, no “Rei do Acesso”. Saiu da Quinta Divisão do Campeonato Paulista e conquistou todos os títulos de acesso até chegar à Série A1, em 2004.

© 2014 Federação Paulista de Futebol - Todos os direitos reservados. FALE CONOSCO    |    EXPEDIENTE